FIESP recebe lançamento de livro com frases de Roberto Campos

Um dos mais notórios defensores da livre iniciativa, o ex-senador e ministro Roberto Campos (1917-2001) ficou conhecido não só pela vida política, mas também como emérito frasista. Esse dom é celebrado no livro “O homem mais lúcido do Brasil – as melhores frases de Roberto Campos”, lançado na noite desta quinta-feira (03/04) na sede da Federação e do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp).

Na noite de autógrafos, Aristóteles Drummond, com João Ataliba de Arruda Botelho Neto, diretor da Fiesp e do Ciesp. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp

Com quase 500 frases, a obra organizada pelo jornalista Aristóteles Drummond tem prefácio de Ives Gandra da Silva Martins e depoimentos de Ernane Galvêas, Francisco Mussnich, J. O. de Meira Penna e Rodrigo Constantino. A publicação é da Livraria Resistência Cultural Editora.

O livro traz ainda o discurso de estreia no Senado Federal, em 1983, e uma carta de Roberto Campos a Tancredo Neves que teria mudado a opinião do político mineiro, então em campanha presidencial, acerca de aspectos da economia nacional.

No evento de lançamento, o organizador da obra disse que ninguém defendeu mais a livre empresa do que Roberto Campos. “O pensamento dele e de suas frases estão mais do que atuais nesse momento que o Brasil vive, em que o caminho da liberdade e da justiça social passa pelo liberalismo econômico, passa pelo fortalecimento da livre empresa”, disse Drummond.

Para o organizador, o local do lançamento tem valor simbólico. “Ser na Fiesp é uma homenagem a ele também porque ninguém defendeu a indústria nacional, o crescimento do Brasil do que Roberto Campos, que tinha inúmeros amigos em São Paulo e estava permanentemente vinculado aos setores empresariais de São Paulo.”

Roberto Campos

Nascido em 17/04/1917, em Cuiabá (MG), Roberto de Oliveira Campos foi economista, diplomata e político brasileiro. Ocupou os cargos de deputado federal, senador e ministro do Planejamento no governo de Castello Branco.

Como economista e diplomata foi conselheiro econômico da Comissão de Desenvolvimento Econômico Brasil-Estados Unidos (1951-1953), diretor, gerente geral e presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico (1952 /1955 /1959), secretário-geral do Conselho de Desenvolvimento Econômico (1956-1959) onde coordenou as ações econômicas do Plano de Metas do Governo Juscelino Kubitschek.

Na política partidária foi senador da república, representando o Estado de Mato Grosso (1983-1990) e deputado federal pelo PPB do Estado do Rio de Janeiro, por duas legislaturas (1990-1998). Além de vários outros cargos em conselhos e entidades públicas e privadas, foi eleito (1999) para a Cadeira nº 21 da Academia Brasileira de Letras, em sucessão a Dias Gomes.

Campos morreu aos 84 anos em sua casa, em Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro (RJ), de infarto agudo do miocárdio, em 09/10/2001.

Fonte: Agência Indusnet Fiesp

Comments

comments

Lourival Souza

Lourival Souza é Presidente do Expresso Liberdade e colaborador da Associação Cultural São Thomas More.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *